Cinco principais dificuldades do setor industrial alimentício

A Indústria de Alimentos vem crescendo fortemente no mercado brasileiro nos últimos anos. Porém, muitas empresas não conseguem lidar com o crescimento e acabam tendo dificuldades para gerir o seu negócio de maneira satisfatória. Preparei uma lista de dores mais comuns que tenho visto nos meus anos como consultor nesse ramo da indústria.

1. Falta de padronização das Receitas

A grande dificuldade é uma questão de profissionalizar a fábrica de alimentos. Mesmo tendo uma produção artesanal é necessário ter padronização das receitas (fichas técnicas), pois não é admissível para uma indústria ter o mesmo produtos com qualidade, gosto e apresentação diferentes.

Certa vez, em uma fábrica de bolos, percebemos que uma equipe seguia a ficha técnica e apresentava um produto acabado com as dimensões, textura, qualidade e gosto no ponto certo. E outra equipe não conseguia chegar nessas condições. Logo percebemos, que o problema era ficha técnica. Pois uma das equipes não estava utilizando um ingrediente nas medidas certas. Faziam “de cabeça” ou com uma “liberdade poética” na execução do produto.

A falta de padronização nesse ramo é um atestado para o fracasso, pois sem padronização não há controle.

2. Erros na hora de fazer a conta para multiplicar a receita

Essa é uma desculpa muito comum quando um produto não dá certo, o cozinheiro fala que tentou dobrar a receita mas não deu certo. Ele pode ter errado na conta ao multiplicar a quantidade dos ingredientes no momento da produção.

3. Estoques “periféricos”

Esse é um dos sintomas para o controle de estoque na indústria de alimentos não dar certo. Muito comum cada unidade de produção ter seu estoque para produção, geralmente embaixo da bancada ou num armário próximo. O problema dessa prática é que não há controle nenhum de estoque, pois os funcionários têm autonomia para consumir os insumos sem nenhuma regra baseada na ficha técnica dos produtos. Logo, o custo de produção aumenta significativamente pois existe um consumo de ingredientes não gerenciável.

Sua indústria pode estar caindo nesse erro, responda as perguntas abaixo, se as respostas for SIM por favor acenda o alerta “Amarelo”,

  • No final do dia de produção é comum ficar insumos na área de produção?
  • A produção é feita sem ficha técnica?
  • A requisição no Estoque Central é feita de forma arbitrária, ou seja, sem padrão?
  • Você tem dificuldade para saber o saldo de um produto, por exemplo “Farinha”, nesse estoque periférico?
  • Falta insumos para produção e só é percebido nos 45 do segundo tempo?

4. Falta de comunicação entre o atendimento ao Cliente e a fábrica

Outra dificuldade que também é vista em empresas deste setor é a organização dos pedidos para sua expedição. Muitas vezes é necessária a montagem de uma carga com inúmeros produtos diferentes e que, após formado o pedido, é difícil realizar a conferência de todos os itens ali contidos.

Por essa realidade, ocorrem casos em que produtos são separados para clientes que não os solicitaram ou que a quantidade separada seja diferente da quantidade pedida pelo cliente. Nessas situações, esses desvios podem ser creditados tanto pela falta de uma lista correta de itens que precisam ser separados para o pedido quanto por descuido dos próprios funcionários.

De qualquer forma esse é um problema que impacta diretamente o relacionamento da empresa com seus clientes.

Muitas vezes o serviço dessa indústria é B2C ou de uma forma simples de explicar existe uma venda para consumidor num ponto de venda anexo a indústria. Quando existe um pós preparo para finalizar o produtos para o cliente, muitas vezes há ruído na comunicação entre o atendimento e a fábrica.

5. Data de validade expirada

A maioria das empresas da indústria de alimentos possuem como característica o controle de validades dos produtos no estoque. Porém, é muito comum ver nos noticiários que a ANVISA, ou qualquer outro órgão fiscalizador, apreender toneladas de produtos fora do prazo de validade. Muitas das vezes pessoas, gerentes e diretores, são presos por não cumprir as normas da vigilância sanitária.

Esse problema pode ter muitas causas, como por exemplo:.

  • Não registrar o lote e validade na entrada das mercadorias ( As vezes a mercadoria já chega vencida)
  • Não fazer o PEPS (Primeiro que entra, primeiro que sai)
  • Não registrar a saída dos lotes no estoque.
  • Não ter alertas de validade como controle

Em suma esse é um problema de falta de rastreabilidade do processo de fabricação.

Via Nomus Blog Industrial

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *